Paris em modo econômico: 5 dicas para uma viagem inesquecível

eiffel-tower-975004_1280

Paris está entre os 3 destinos mais cobiçados do mundo e é cara.

Foi fundada por uma tribo celta no século III a.C., a tribo chamava-se parisii, dando origem assim ao nome da capital da França. Entretanto, o primeiro nome da cidade foi dado pelos romanos e, à época, chamava-se Lutécia. Passou a chamar-se Paris somente no século IV a.C.

A cidade de cerca de 2,35 milhões de habitantes conta com 89 milhões de turistas por ano, batendo o recorde mundial de destino turístico mais visitado. A arte, a história, a gastronomia, a cultura, a beleza dos prédios e a as caminhadas em volta do rio Sena apenas validam a nossa primeira impressão. É imperdível.

1. Escolha a época adequada:

Entre novembro e março é baixa temporada, assim os preços estarão menores em todas as categorias pesquisadas (de passagem aérea a alimentação). A alta estação – que você deve evitar, vai de junho a última semana de agosto.

2. Opções de hostel: melhores acomodações

Lembre-se que localização é mais importante que o preço.

  • Melhor Hostel: o St Christopher’s Inn Paris tem a melhor localização, fica a 200 metros da Gare du Nord, pertinho da Basílica do sagrado Coração e de Montmartre (o bairro boêmio). As taxas em baixa temporada são super atraentes e há café da manhã incluído na diária.
  • A segunda opção é o Generator Paris: Hostel Boutique. A localização também é boa, perto da noite badalada de Paris. As tarifas são razoáveis, há um café no local, ao som de um Dj em algumas noites e café da manhã continental opcional.
  • O albergue da juventude pode ser uma boa escolha: The Loft. Fica no 20º distrito. A localização não é a ideal, mas os preços são melhores. Oferece recepção 24 horas e tem um terraço equipado com uma boa vista. O café da manhã é opcional.

 

paris-3193674_1920

 

3. Como circular na capital: Transportes

Há diversas alternativas online e dependem da quantidade de dias que você passará na cidade, mas eu recomendo o Paris Visit Pass, já que a grande parte das atrações está ao lado das estações: é válido por 1,2,3 ou 5 dias consecutivos, peça o que inclui as zonas de 1 a 5 (os aeroportos CDG e Orly, bem como Versailles).

O passe começa a valer às 5:30 (do primeiro dia) e termina no mesmo horário no dia seguinte. Vale para ônibus, metrô, tram e a RER de Paris. Veja as informações aqui: Passe de Visitante.

 

  • Caminhar é a forma mais barata: a cidade tem ótima infraestrutura e é possível com um mapa baixado no celular (cuidado nas zonas mais movimentadas) visitar todas as atrações a pé, utilizando apenas o metrô. Bônus: você pode baixar podcasts gratuitos com os principais itinerários e ouvir a história e curiosidade das atrações aqui: Podcast gratuito.
  • Free walking tour: você pode se juntar a um grupo de visitantes e sair com um guia sem pagar nada, é sugerido uma gorjeta no final, mas é possível pagar aquilo que acha que deve. Sempre escolho pelo menos no 1º dia na cidade, um free walking tour. Consegue-se ter uma visão global e decidir onde você quer voltar depois, com calma. Há várias opções, seguem algumas aqui: Melhores walking tours em Paris.
  • Paris Greeter: uma alternativa bem interessante e barata é o serviço gratuito dos “embaixadores” da cidade. Pessoas que se oferecem para caminhar com o turista e mostrar bairros e sítios interessantes “escondidos” na cidade. A dica essencial: reserve com antecedência e seja generoso com seu anfitrião. Para informações e reservas clique aqui: Embaixadores na cidade.
  • Hop on Hop off: sempre uma boa opção quando você está sozinha e não quer planejar as saídas antecipadamente e nem pensar na logística. O ônibus de turismo, presente na maioria das capitais europeias, oferece conforto e calefação, além de áudio nas atrações turísticas explicando cada uma delas. O big bus tour que é o clássico (um dia no ônibus) custa no momento € 35: Hop on Hop off Paris.

4. Maneiras de economizar na alimentação:

Este é um dos itens que mais pesa na capital da França. Use e abuse dos aplicativos que te fornecem os locais mais próximos para comer. O melhor deles: Mistergoodbeer.

Você encontrará os bares mais em conta e perto da sua localização, bem como comidinhas para aquecer o estômago nas noites frias.

  • Outro aplicativo que dá 50% de desconto em restaurantes, caso você faça a reserva com antecedência: La Fourchette. Há um código promocional no momento para € 10 de desconto na conta: 7F2D5A5D.
  • A dica de ouro: a loja de comida congelada Picard. São 123 unidades espalhadas por Paris. Se você estiver hospedado em hostel (que há micro-ondas na cozinha) ou AirBnb use e abuse dos pratos saudáveis e com custo baixíssimo. É possível encontrar refeições por até € 2. Veja aqui o endereço mais próximo da sua acomodação: Loja de congelados.
  • Para evitar desperdício de comida há o Too good to go (inclusive aqui no Brasil). Eles vendem as sobras do dia e há, até mesmo, uma sacola com produtos que não foram vendidos, mas estão dentro da data de validade e podem ser consumidos.

 

paris-843229_1920

5. Os museus da capital: dias gratuitos ou com desconto:

Para quem gosta de museu e vai passar algum tempo na cidade o ideal é comprar o Paris Museum Pass. Se você quiser economizar e não vai visitar todos os grandes museus siga as dicas:

  • A maioria dos museus é gratuita no primeiro domingo do mês, mas o Louvre vai estar com uma fila imensa, então melhor evitar. Há bilhetes com desconto às quartas e sextas a tarde: Louvre. Está fechado às terças.
  • O Musée d’Orsaytem desconto após às 16:30 todos os dias, exceto às quintas: Tickets e informações. Para menores de 18 anos é gratuito ou entre 18-25 anos para os cidadão e residentes da União Europeia. Primeiro domingo do mês é gratuito para todos.
  • Musée du Grand Palais – Esse edifício de estilo eclético – barroco, clássico e moderno, foi reconstruído para a exposição Universal de 1900. Há uma cúpula de 45 metros de altura, de vidro. Não tem acervo permanente, mas organiza exposições temporárias, eventos e até desfile de moda: Bilhetes.
  • Centro Georges Pompidou: um grande complexo cultural criado pelos arquitetos Renzo Piano e Richard Rogers. Tem biblioteca, teatros, cinema, e dois de seus andares são ocupados pelo Museu Nacional de Arte Moderna, que abriga uma das maiores coleções de arte moderna e contemporânea do mundo. Também incorporou um espaço mágico: o ateliê do escultor romeno Constantin Brancusi, ao lado da entrada principal, foi totalmente reconstituído e pode ser visitado gratuitamente. Fonte: 10 museus em Paris que você não pode deixar de visitar.
  • Musée Rodin: o próprio escultor Auguste Rodin que doou ao Estado francês o seu acervo: mais de 300 obras, expostas em um belo palacete, o Hôtel Biron. No espaço interior do museu estão O BeijoA CatedralO Homem que anda; e do lado de fora há o Jardim das Esculturas onde encontramos o famoso O PensadorA Porta do InfernoOs Burgueses de Calaisou o Monumento a Balzac: Informações.
  • Para mais informações cheque a página dos museus e monumentos: Gratuitos. Infelizmente (ou felizmente?) é em francês.

Espero que as dicas sejam úteis e que você conheça (ou volte) Paris em modo econômico. É imperdível.

Assine nossa newsletter na página Viajar é Fundamental para receber guias de viagem.

Boa jornada!

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s