Processo de individuação: rumo desconhecido e estrada sinuosa.

Individuação significa tornar-se um ser único, na medida em que por ‘individualidade’ entenderemos nossa singularidade mais íntima, última e incomparável, significando também que nos tornamos o nosso próprio si mesmo. Podemos, pois, traduzir ‘individuação’ como ‘tornar-se si mesmo’ ou ‘o realizar-se do si mesmo’. Carl Jung.

 

curva do Danúbio

O processo de individuação é longo e doloroso. É um dos conceitos principais da psicologia junguiana e significa confrontar o lado sombrio do ser (a sombra) e vários aspectos da personalidade, não muito bonitos, com o intuito de despojar-se da persona e descobrir o seu chamado no mundo. A essência é desabrochar seu potencial e realizar algo só seu na comunidade que habita.

É uma viagem cujo destino você não conhece, quanto mais o fim! Você percebe que há um começo, ainda que involuntário, quando seu ego deixou para trás as ilusões de grandeza e você sabe que existe algo mais profundo, maior do que você e de seus desejos mesquinhos, mas não controla nem o desenrolar do processo nem o resultado, seja ele qual for. O rumo é desconhecido e a estrada sinuosa.

Cada um tem a sua própria jornada, que é única e subjetiva, do mesmo modo que somos indivíduos singulares. Assim é nossa travessia pelo labirinto do inconsciente e pelas pontes do ego, que funciona como juiz ou árbitro. O propósito é inteirar, agregar o consciente e o inconsciente ou integrar, na linguagem da psicologia, pelo processo de individuação, no qual se procura a totalização do ser.

Não há fórmula para isso, mas posso garantir que ignorância não é uma bênção.

Reúna os deuses que há em você. Descubra seus limites e talentos, faça as pazes com seus defeitos, celebre suas peculiaridades, viaje com um plano, mas esteja aberto às mudanças bruscas de tempo. Compartilhe seus conhecimentos e habilidades, converse com seus amigos e peça conselhos daquele que você considera mais equilibrado.

Sobretudo confie em você mesmo. Desenvolva sua intuição e preste atenção, fique atento ao itinerário e mantenha a mente aberta para mudá-lo se for o caso. Não se prenda a ideias preconcebidas sobre os países nem sobre você mesmo, vá e sinta por si só.

O objetivo é tomar consciência de que é um ser único para fazer aquilo que veio ao mundo realizar, mas ainda não se deu conta. Tornar-se singular, ímpar, com as duas partes perdidas reunidas em um só local, em harmonia. Individuar é encontrar-se, é sair do que você considera certo e confortável, do aconchego do destino conhecido cuja língua você domina por completo. Parece inseguro, não?

Inseguro é ficar em casa sem se arriscar a mudar de rota. Melhor entregar-se a esse trajeto que se assemelha muito a uma peregrinação, uma jornada para dentro de si mesmo.

Boa viagem.

Quer saber mais sobre o processo de individuação? Dá uma olhada nesse blog: Café com Jung.

Se você ainda não sabe sou escritora e os livros publicados são : Mochilando com as deusas para quem gosta de mitologia, psicologia e viagens 😉 .

Utilizamos links afiliados, se você comprar o livro por meio do link indicado receberei uma comissão, mas isso não afeta o preço que você paga.

Aproveite para assinar a newsletter na nossa página: Viajar é fundamental (no rodapé de cada aba tem um formulário) para receber mais dicas úteis de viagem e boa jornada!

Um comentário sobre “Processo de individuação: rumo desconhecido e estrada sinuosa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s